Como produzir o adubo orgânico Bokashi em 4 passos

O adubo Bokashi é um adubo orgânico que pode melhorar a qualidade da produção de hortaliças, garantindo o sucesso da lavoura. Utilizá-lo propicia materiais com características superiores, que chegam à mesa do consumidor em forma de alimentos mais saudáveis e nutritivos. Além dos benefícios para o solo, ele influencia na saúde das cultivares e, consequentemente, na redução do uso de agrotóxicos.

O composto vem sendo cada vez mais utilizado por horticultores brasileiros, e estudos recentes apontam que a sua formulação contribuí no controle da doença do tomateiro. Ele é feito a partir da mistura de farelos e microorganismos que provocam a fermentação, transformando o material em um adubo muito usado na agricultura orgânica.

As vantagens estão nos diversos aspectos positivos para o solo. O primeiro deles é o biológico, pois a formulação é capaz de revitalizar o solo que está cansado e esgotado. Impacta também no aspecto físico, tornando o solo mais agregado e fofo, proporcionando que ele retenha mais água e ao mesmo tempo fique mais airado, o que influencia no crescimento das plantas.

Além dos aspectos físicos e biológicos, o Bokashi impacta no sentido químico ao aumentar a capacidade de troca catiônica (CTC, responsável por armazenar os nutrientes no solo), além de ajudar a corrigir a acidez do solo ao longo do tempo, melhorando o seu pH. Como resultado, as plantas conseguem absorver os nutrientes e desenvolvem-se melhor. Outro benefício refere-se ao aumento da quantidade e da diversidade de micro-organismos no solo, que recicla a matéria orgânica e disponibiliza nutrientes para as plantas de forma lenta, atuando também no controle de pragas e doenças.

BOKASHI EMBRAPA
Composto do tipo Bokashi pronto para aplicação

O composto pode ser feito de duas formas:
Aeróbica –  Quando se prepara ao longo de cerca de uma semana, revirando o composto todos os dias.
Anaeróbica (sem ar) – Quando ele é produzido ensacado ou em bombas. Neste segundo caso, não é necessária a manutenção de revirar a terra, mas o processo demora em média vinte dias.

Normalmente os ingredientes básicos são farelos de cereais (trigo, arroz, cevada) e a torta, que depende do que o produtor tiver disponível em sua propriedade. A torta de mamona é uma das opções, mas outros materiais que produzem óleo podem ser utilizados, como a torta de girassol, babaçu ou dendê.

Abaixo você confere a receita para produzir Bokashi (anaeróbico) disponibilizada pela Agrônoma Ana Paula Pegorer de Siqueira, da Pesagro:

Ingredientes:
-60kg de farelo de trigo
-50kg de torta de mamora
-30l de água sem cloro
-1 copo de inoculante
-1 copo de açúcar mascavo (ou melaço)

Passo 1 – Mistura dos farelos
Misture bem os farelos. O ideal é fazer este processo em cima de uma lona, evitando o desperdício do composto.

Passo 2 – Preparo do composto líquido
Será necessária uma água de boa qualidade, sem cloro, onde será misturado o inoculante (fermento). Este contém microorganismos eficientes na decomposição fermentativa da matéria orgânica, na aceleração da compostagem e na qualidade do solo. Após misturados, se aplica o açúcar mascavo (ou melaço). A água e o açúcar vão servir de alimento para o microorganismo crescer e fermentar os farelos. Misture bem o composto líquido.

Passo 3 – Solução líquida aplicada nos farelos
A solução líquida deve ser aplicada na mistura de farelos, preferencialmente com um regador. O material vai sendo revolvido para absorver o líquido, até alcançar o aspecto homogêneo. O ponto certo é o da umidade, e para conferir o produtor deve amassar um “bolinho” da mistura e verificar se ele está inteiro, se desmanchando apenas quando apertado.

Passo 4 – Armazenamento
O material pronto é colocado em bombas fechadas. Uma alternativa para produtores que não disponibilizam deste material é realizar o processo dentro de saco plástico duplo (é fundamental um saco mais reforçado por fora). Como o processo é sem ar, é crucial vedar bem os sacos, evitando que rasguem.

A mistura fica fechada por 21 dias e após pode começar a ser aplicada no campo. Ao abrir as bombas ou sacos onde o composto está armazenado o horticultor pode encontrar um mofo branco na parte superior do Bokashi, que é natural e não significa a ineficiência do preparo ou composto. O cheiro forte, que pouco se assemelha ao de fermentação, é um dos indicativos de que o composto não teve sucesso, o que provém do excesso de umidade ou da má vedação. Neste caso, é indicado que o produtor descarte o material ou realize compostagem dele.

Neste vídeo você confere outra receita do composto Bokashi e o relato de produtores que adotaram a prática: 

Para saber como você pode produzir um Bokashi de Terra, confira estas informações da Embrapa!

Fontes: Embrapa, Globo Rural e InterTv Rural
Foto: Embrapa 

Gostei(61)Não Gostei(4)

13 comentário em “Como produzir o adubo orgânico Bokashi em 4 passos

    1. Canal do Horticultor

      Olá Luís! Que ótima notícia 🙂 Você pode manter contato acompanhando as nossas notícias por aqui, assim como pelas páginas do Instagram (www.instagram.com/canaldohorticultor) e do Facebook (www.facebook.com/canaldohorticultor) do Canal do Horticultor!

      Gostei(0)Não Gostei(0)
    1. Canal do Horticultor

      Olá Elaine, o inoculante é um produto que contém microrganismos com ação benéfica para o desenvolvimento das plantas. Aqui você confere mais informações: http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/feijao-caupi/arvore/CONTAG01_2_2882007171552.html 🙂

      Gostei(0)Não Gostei(0)
    1. Canal do Horticultor

      Olá Josiane, tudo bem? Obrigada pela sua mensagem e sugestão! Recomendamos o controle biológico com Bacillus thuringienses! Aqui você encontra mais informações que podem lhe ajudar: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/779134/4/ct36.pdf

      Gostei(0)Não Gostei(0)

Tem algo para acrescentar sobre esse post? Compartilhe com a gente!