Por que usar sementes peletizadas ou incrustadas

Algumas sementes de hortaliças possuem características que dificultam o processo de individualização e distribuição durante o plantio, como:

– Tamanho reduzido;
– Superfície crespa ou com presença de pêlos (tricomas), espinhos e aristas;
– Menor peso

Para resolver estas dificuldades surgiram os processos de peletização e incrustamento.

O que é peletização?
A peletização é o revestimento com material inerte ao redor das sementes, que visa torná-las de maior tamanho, uniformizando o formato e peso. No processo de peletização, se transformam sementes nuas em pellets uniformes, redondos ou ovulados, aumentando o tamanho e o peso de cada unidade, permitindo assim o plantio em semeadoras de precisão.

A introdução da tecnologia do uso da semente peletizada surgiu no Brasil na década de 1980. A prática ganhou espaço em 1982, dentro do contexto em que foi introduzido o sistema de bandeja de poliestireno expandido, com a produção de mudas em ambiente protegido e o surgimento dos viveiristas. O processo de peletização das sementes facilitou a produção das mudas em bandejas, e a quantidade de sementes nuas utilizadas para a começou a diminuir consideravelmente.

Atualmente, um dos segmentos do mercado que mais utiliza a tecnologia da peletização no Brasil é o da cultura de alfaces.  De acordo com o artigo Retrospectiva e tendência da alfacicultura brasileira, dos pesquisadores Fernando Cesar Sala e Cyro Paulino da Costa, em 2009 a semente peletizada de alfaces correspondeu a mais de 72% do mercado de sementes desta espécie, agregando valor à produção.

As sementes peletizadas podem ser distribuídas com maior precisão e uniformidade, o que significa que cada semente pode ser colocada no espaçamento correto e em quantidade controlada. Além disto, a camada de material que recobre a semente não impede o livre acesso de oxigênio, mantendo assim o poder germinativo.

Vantagens
– Distribuição da semente com maior precisão e uniformidade;
– Melhor o processo de semeadura manual ou mecanizado;
– Reduzir ou eliminar a operação de desbaste ou raleio (que a exemplo da cultura da cenoura pode corresponder a cerca de 12% do custo de produção);
– Rapidez e eficiência de plantio;
– Possibilidade de se utilizar sementeiras de precisão;
– Redução do gasto de sementes;
– Redução dos impactos que as sementes sofrem durante a semeadura

DSC_0987
Sementes peletizadas 

Recomendações
Ao modificar o processo de cultivo para utilizar sementes peletizadas, o produtor terá que adaptar algumas técnicas, que incluem o preparo do solo e a irrigação, o que possibilita a melhoria do rendimento das lavouras e da qualidade da produção. Algumas das instruções são:

– Preparar o solo com o mínimo de torrões e de restos de plantas ou utilizar substratos;
– Utilizar bandejas de qualidade e higienizadas, para facilitar o desenvolvimento e qualidade da planta;
– Regular a profundidade de semeadura;
– Fazer irrigações com frequência e volume suficiente para manter úmida a camada superficial do solo.

Conservação das sementes peletizadas
A conservação das sementes peletizadas depende do seu grau de umidade, que, por sua vez, tende a entrar em equilíbrio com a umidade relativa do ambiente. Em condições inadequadas, as sementes peletizadas perdem mais rapidamente a viabilidade, o que implica em cuidado maior no armazenamento e manuseio deste tipo de sementes, principalmente após a abertura das embalagens. Portanto, é recomendado que as embalagens de sementes peletizadas sejam utilizadas para um único semeio.

Irrigação
A camada de peletização é composta por materiais finos, que retém fortemente uma camada de água em torno da semente peletizada, o que dificulta a troca gasosa entre a semente e o ambiente externo ao pélete, atuando como se as sementes estivessem sido semeadas em uma delgada camada de argila (lama).

Para evitar que as sementes morram por falta de arejamento, é necessário controlar a quantidade de água de irrigação, mantendo a umidade baixa o suficiente para não permitir o ressecamento das sementes, até que ocorra a germinação. A partir de então, não há mais esta restrição, pois a radícula sai rapidamente da área de influência da camada de revestimento, que é de 1 a 2 milímetros de espessura.

O que é incrustamento?
O incrustamento tem como objetivo aplicar uma quantidade mínima de material, para preencher formas e superfícies irregulares da semente, facilitando o plantio e manuseio em equipamentos mecanizados de semeadura. O processo também pode ser utilizado para aumentar o tamanho e peso.

Vantagens
– Facilita à regulagem das maquinas semeadoras;
– Proporciona distribuição uniforme;
– Rendimento maior;
– Proteção de ataque de pragas antes da germinação;

Quais sementes podem ser peletizadas e incrustadas?
Basicamente qualquer semente que apresenta dificuldade de distribuição na semeadura. As mais tradicionalmente peletizadas e incrustadas são:

Peletizadas: Alface, almeirão, agrião, rúcula

Incrustadas: Cenoura, cebola, salsa

Confira mais informações sobre a utilização de sementes peletizadas no artigo produzido pela Embrapa Hortaliças

Para conhecer as variedades da ISLA Sementes que podem ser peletizadas ou incrustadas e adquirir as sementes entre em contato pelo 0800 709 5050!

Gostei(39)Não Gostei(0)

2 comentário em “Por que usar sementes peletizadas ou incrustadas

Tem algo para acrescentar sobre esse post? Compartilhe com a gente!