Saiba como fazer a polinização manual em tomates

Cultiva tomates e está reparando que os frutos não tem uniformidade, estão com poucas sementes e seu desenvolvimento está comprometido? Pode ser falta de polinização! A notícia boa é que temos algumas dicas que podem resolver o seu problema de forma prática e econômica!

Horticultores que produzem em estufas geralmente lidam com esse empecilho, devido a falta de entrada de vento e insetos polinizadores (em especial as abelhas) no local. O vento, que balança as flores e permite que o pólen se solte, garantindo o processo de polinização, é fundamental para o bom desenvolvimento dos frutos do tomateiro. As abelhas cumprem o mesmo papel, levando o pólen de uma planta a outra e assegurando a qualidade a padrão da lavoura.

Em estufas, é possível que os produtores utilizem uma vez por dia um soprador para resolver o problema. Em casos como de doenças (oidío e míldio, por exemplo) ou presença de pragas não é recomendado o seu uso,  pois o instrumento pode alastrar o problema para outras plantas, que estão sadias. Neste caso, o ideal é que o horticultor faça a polinização manual dos materiais. Para isto, basta bater suavemente nas flores.

Saiba como fazer a polinização manual em tomates:

A ausência da polinização acarreta no abortamento e consequente perda de frutos, deformação e falta de padrão nos produtos e ausência de sementes.


Frutos à esquerda foram produzidos em flores visitadas pelas abelhas, já à direita são frutos de flores não visitadas. O número de sementes, o tamanho e o peso dos tomates são maiores nos frutos das flores visitadas por abelhas nativas

Manutenção da vegetação nativa
A manutenção de vegetação nativa ao redor da plantação e próximo a cursos hídricos é muito importante para a polinização do tomateiro. Esses remanescentes de vegetação podem facilitar a criação de ninhos pelas abelhas que visitam os tomateiros, além de fornecerem abrigo e alimento para elas.

A presença de ervas e arbustos e até mesmo de árvores dentro e próximo das plantações de tomates, ou seja, plantas que crescem naturalmente nos campos também podem atrair as abelhas. Alguns exemplos dessas plantas são as flores Alyssum e os Girassóis, que tem alto potencial de atrair os insetos.

Consórcio com cultivares que atraem abelhas
O plantio consorciado com culturas que servirão de atrativo para as abelhas ajudará na manutenção das populações dos polinizadores. Essas culturas podem ser: berinjela, pepino, abóbora, melancia, melão, feijão, por exemplo.

Redução de uso agrotóxicos
Os agrotóxicos podem prejudicar os produtores rurais e também tem impactos na visita das abelhas à propriedade! Em caso de uso de agrotóxicos, este deve ser algo balanceado e moderado. O ideal é evitar seu uso no período da manhã, quando as abelhas apresentam maior atividade de visitação nas plantas. Além disso, altas temperaturas e ventanias aumentam a perda de agrotóxico por evaporação e dispersão para locais onde o agrotóxico não deveria chegar. Portanto, a aplicação de defensivos agrícolas deve ser realizada no período da tarde e quando o vento estiver em baixa velocidade.

Fonte: Polinização do Tomateiro – Estudo da UFG

 

Gostei(3)Não Gostei(1)

Tem algo para acrescentar sobre esse post? Compartilhe com a gente!