Dia de Campo traz novidades do mercado e novas tecnologias de sementes

O Dia de Campo promovido pela EMATER-RS em Passo Fundo nesta quinta-feira, 17,  foi um sucesso. Mais de 800 visitantes puderam conhecer as novidades da horticultura através dos parceiros do evento. Na Estação da ISLA Sementes, o público conheceu novas variedades do mercado e tecnologias para a produção de hortaliças.

O assunto principal da exposição feita pela equipe técnica é de grande importância para o mercado da horticultura: como podemos incentivar o aumento do consumo de hortaliças no Brasil?

Atualmente, o brasileiro come em média 130g de frutas e hortaliças por dia, quando o recomendado pela FAO* seria 400g. Comer melhor significa ser mais saudável, sustentável e conectado com a natureza. O mercado da horticultura pode – e deve – incentivar o aumento deste consumo. Apresentar produtos diferenciados é uma das formas mais eficazes. Hortaliças que se diferenciam em sabor ou apresentação visual são muito mais chamativas no ponto de venda.

20161117_095232

Um exemplo de tendência no mercado é a produção de baby hortaliças. Além de serem mais nutritivas, elas também apresentam vantagem para o produtor, que economiza água, adubo, defensivos e mão de obra, já que a colheita é feita mais cedo. As mini hortaliças têm tido crescente aceitação no mercado e são produtos com alto valor agregado, o que significa mais rentabilidade e produtividade para o horticultor.

Falando sobre produtos, veja os destaques apresentados pela ISLA nesse Dia de Campo em Passo Fundo-RS:

Cebola Diamantina, variedade híbrida de dias curtos, bastante precoce, podendo ser colhida em 110 dias. No sabor, ela é muito mais suave que as cebolas tradicionais, podendo ser comida in natura em saladas. Quando colhida jovem, fica ótima para conservas.

No evento, dois canteiros foram plantados, um com mudas, outro por meio de plantio direto. A prática do plantio direto é uma boa solução pois necessita menos mão de obra, um dos maiores problemas no campo atualmente. Podemos ver, porém, que no canteiro onde usamos essa técnica a população de cebolas está maior, resultando em bulbos menores, já que a solução nutritiva foi dividida entre mais plantas.

Canteiro da frente com plantio direto, de trás plantado com mudas

Beterraba Merlot, variedade híbrida ideal para venda em molhos, já que não tem uma estrutura foliar tão grande. A coloração muito intensa, lembrando o vinho, é um ponto alto na hora da comercialização. Não demonstra anéis brancos no interior e tem menor tendência a ter cicatrizes, qualidade importante para horticultores que fazem caixaria.

Beterraba Merlot, à esquerda

Observamos no campo que as folhas apresentaram Cercospora, um problema muito comum em beterrabas, também conhecido como Olho-de Perdiz. Mesmo assim, devido à alta resistência e sanidade do material, o produto final não foi danificado.

20161117_113134

Abobrinha Troia, que apresenta frutos de cor verde claro, muito aceitos nos mercados da região Sudeste. A planta tem uma estrutura muito interessante pois os frutos quase não encostam no chão, evitando danos causados pelo contato e trazendo mais qualidade ao produto. Além de ter um ótimo pacote de resistências, também é uma cultivar precoce. Por isso, a incidência de doenças e viroses é muito baixa, já que o horticultor colhe o fruto antes que a doença ataque a lavoura.

20161117_11334620161117_075307

Atente-se ao ponto certo de colheita para que a abobrinha não passe do ponto. O ideal são frutos entre 15cm e 20cm de comprimento. Além de tudo, ela pode ser comercializada junto com a flor, que também é comestível, para agregar valor no mercado.

Veja o depoimento do horticultor da Fazenda Capão Alto, onde foi realizado o Dia de Campo, Vanderlei César Leal, sobre o desempenho da Abobrinha Troia:

Além destas cultivares, também foram apresentados produtos diferenciados e que ainda são novidades no mercado, como a Abobrinha Gioconda, que se destaca pelo formato arredondado, os tomates Sorbetto, Dolcetto e Wanda, ideais para venda com embalagens com sabor muito adocicado, e o Pepino Durango, material mais crocante, mais digestivo, com pouca formação de sementes e possibilidade de ser cultivado com moldes para agregar valor no ponto de venda.

Abobrinha Gioconda

capturar

Pepino Durango em forma de coração

Quer adquirir as sementes online? Acesse o site da ISLA ou compre pelo televendas 0800 709 5050 e receba-as em casa.

Até a próxima!


*FAO: Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO, sigla do inglês Food and Agriculture Organization) é uma organização das Nações Unidas cujo objetivo é aumentar a capacidade da comunidade internacional para de forma eficaz e coordenada, promover o suporte adequado e sustentável para a segurança alimentar e nutrição global. Para isso, a FAO realiza programas de melhoria da eficiência na produção, elaboração, comercialização e distribuição de alimentos e produtos agropecuários, além de projetos que contribuam para a redução da pobreza rural e o crescimento econômico global.

Gostei(11)Não Gostei(0)

Tem algo para acrescentar sobre esse post? Compartilhe com a gente!