MILHO VERDE, DOCE E PIPOCA: AGREGANDO DIVERSIDADE A SUA PRODUÇÃO

O sucesso de uma lavoura de milho está relacionado ao estabelecimento de estande de plantas, e para isso, vários fatores são importantes antes e depois de colocar a semente no solo. Confira os principais passos para uma boa colheita de milho na sua área:

  • Definição da população de plantas (dossel);
  • Época de implantação;
  • Análise e correção do pH do solo, quando necessário;
  • Adubação de base e cobertura;
  • Planejamento do ciclo (tratos culturais, época e operações de colheita, destino das espigas).

Com base no seu planejamento, é possível determinar o número de safras por ano, sendo mais comum a realização de uma safra principal, com semeio entre agosto e setembro, por exemplo e a safrinha, com semeio após a colheita desta primeira produção, por meados de dezembro ou janeiro, dependendo da região. Confira mais sobre espaçamento neste vídeo da Embrapa.

O milho responde ao fotoperíodo e deve ser cultivado durante o período de dias longos. Nas regiões sul e sudeste do país, a melhor época de cultivo é durante a primavera e o verão. Já nas demais regiões do país, o cultivo pode acontecer o ano inteiro, desde que bem manejados (com irrigação, adubação, e bom manejo de pragas e doenças).

Após a colheita, os caules e folhas secas podem ser mantidos na área e incorporados ao solo, tornando-o mais rico em matéria orgânica e com boa reciclagem de nutrientes. Esta palhada contribui para o armazenamento de água no solo e construção de um solo de qualidade.

Conheça 3 tipos de milho para sua produção: Milho Verde, Doce ou Pipoca

Milho Doce Híbrido Quindim

Boa profundidade de grãos, alta tolerância ao acamamento e quebramento;
Ótimo fechamento da ponta da espiga, excelente despalhamento, segurança na produção, grãos com coloração homogênea, amarelo médio e alta qualidade do produto;
Alto potencial produtivo e rendimento;
Tolerância ao Complexo Enfezamento do milho – Corn stunt;
Ciclo 90 a 110 dias

Milho Doce Super Doce

– Variedade com alto teor de açúcar;
– Possui espigas uniformes e com excelente produção de grãos;
– Ótima opção para o mercado de enlatados e venda in natura;
Ciclo 80 dias

Milho Pipoca Americano

– Planta vigorosa e produtiva;
– Produz grãos amarelos levemente marrons;
– Antes do consumo é importante deixar os grãos secarem na espiga;
Ideal para hortas domésticas e diversificação da produção na horticultura familiar;
Ciclo 120 dias

Milho Verde Híbrido Itapuã 700

– Planta vigorosa, produtiva e com ótima sanidade;
– Espigas compridas e uniformes com grãos amarelos;
– Ótima opção para produção caseira;
Ciclo 100 dias

MILHO DOCE E MILHO VERDE NA CULINÁRIA

O milho doce (Zea mays L.) M se destina exclusivamente ao consumo humano. É utilizado principalmente para consumo “in natura” e para processamento pelas indústrias de produtos vegetais em conserva. É um tipo de milho cujo ciclo da cultura varia de acordo com a cultivar e a época de plantio. De um modo geral, a espiga consumo in natura pode ser colhida em torno de 90 dias após a germinação, nos plantios de verão, e 120 dias nos plantios de inverno.

O cultivo de milho doce no Brasil ainda é mais direcionado para o processamento industrial, sendo ainda pouco difundido para o consumo “in natura”. As variedades com boa adaptação ao nosso clima estão sendo lançadas no mercado, o que tem atraído a atenção de produtores e consumidores.

As características exigidas pelo mercado consumidor de milho doce diferenciam-se das do milho verde comum. A indústria tem preferência por cultivares que possuem maior teor de açúcar e menor teor de amido, além de maturação, tamanho e formato de espigas uniformes. Já em outros países como Estados Unidos e Canadá, o milho doce é tradicionalmente consumido “in natura”. Para saber mais sobre o manejo de milho doce, confira este material da Embrapa.

Milho doce em fase de formação da espiga

A principal diferença entre o milho doce e o milho verde convencional é a presença de alelos mutantes que bloqueiam a conversão de açúcares em amido, no endosperma, conferindo o caráter doce, tornando o milho doce enrugado e translúcido quando seco. O consumo de milho verde é muito comum no Brasil. Este cereal é muito versátil na nossa culinária, sendo consumido de várias formas: cozido, assado, pamonha, curau, suco de milho e outros.

A textura e a espessura do pericarpo do grão também são fatores de qualidade do milho verde. Esses fatores estão diretamente associados à aceitação do produto pelos consumidores.

Clique aqui e garanta as sementes dos Milhos ISLA para sua próxima safra!

Tem algo para acrescentar sobre esse post? Compartilhe com a gente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *