Orgânicos Capela da Penha: Diversidade e produtos Super Sabor garantem sucesso de produtores

Investir em materiais diferenciados e trazer sabores, texturas e cores únicas para a mesa dos brasileiros é uma das grandes realizações da Orgânicos Capela da Penha. E além de garantir o abastecimento do mercado com alimentos únicos, explorando a diversidade de hortaliças, a empresa proporciona hortaliças frescas, orgânicas e extremamente saudáveis.


Produção orgânica de alfaces diferenciadas e couve kale em campo aberto

Com o objetivo de colaborar com o crescimento da agricultura orgânica e com o consumo de alimentos saudáveis no Brasil, buscando transparência e respeito no relacionamento com funcionários, produtores, fornecedores, clientes e meio ambiente, o Sítio Capela da Penha é certificado pela EcoCert desde 2013. Os seus produtos também possuem um código que permite ao consumidor rastrear o caminho percorrido pelo alimento. “A nossa produção de orgânicos começou no interesse do proprietário há mais de 15 anos, que ele já tem um pouco dessa ideia voltada para ecossistemas, ecologia, e tem propriedades e fazendas pelo Brasil. E ali em Sorocaba se identificou em começar pelos orgânicos. Temos o certificado há 12 anos, e há uns sete, oito anos atrás, começamos a vender orgânicos já. E graças a deus foi um boom gigantesco”, revela Fernando Moscardo de Salles Martins, agrônomo da Orgânicos Capela da Penha.


Pepinos cheios de sabor e mini tomates de alto valor agregado, como o Tigre e Sicília, da ISLA Sementes, fazem sucesso na lavoura orgânica da Capela da Penha



Produção de Mini Pimentão Kaolin e Mini Pimentão Moke (amarelo) orgânico! Materiais de alta produtividade, excelente sabor e apelo pelo visual e formato únicos


Produção de Berinjela Niobe, um sucesso com o público! O material apresenta polpa extremamente macia, adocicada e que não oxida. Um excelente investimento para quem busca novos mercados, como o gastronômico 

O Sítio Capela da Penha faz parte de uma propriedade rural familiar, a Fazenda do Sol. Dos 70 hectares do sítio, 10 hectares são para plantação no campo e 1 hectare tem cultivo em estufa. Além disso, existe um viveiro para produção de mudas e uma área de preservação permanente com 20 hectares. Temperos, alfaces variadas, beterrabas, cenouras, berinjelas e tomates super saborosos são alguns dos exemplos de materiais com a qual a Orgânicos Capela da Penha trabalha.

 Abobrinha Gioconda, da Isla Sementes, em pleno desenvolvimento em campo aberto. O material é um dos grandes sucessos de comercialização da Capela da Penha 

O Sítio preza pela qualidade dos alimentos oferecidos, por isso, investe em sementes de alto potencial e realiza manejo de forma orgânica, produzindo seu próprio adubo Bokashi e trabalhando com dedicação e zelo em cada detalhe. O resultado são colheitas fartas, extremamente saborosas e de alto valor agregado, capazes de conquistar até mesmo os paladares mais exigentes. Além disso, elas representam muitas oportunidades de mercado, como a possibilidade de criar vínculos com o mercado gastronômico.


Produção de Alface Atalaia Frisée 

Confira a entrevista com Fernando e saiba como a Capela da Penha entende o mercado da horticultura e garante o seu sucesso se posicionando com materiais diferenciados, de alto valor agregado e sabor único!

CH: Como vocês avaliam hoje o mercado de orgânicos no Brasil?
Fernando: Cresceu estrondosamente. Esse mercado hoje em dia tá cada vez mais agressivo, com o pessoal vegano e que consome orgânicos. É uma ideia que foi para frente e não tem mais saída, não tem escapatória.

CH: Qual o maior desafio na produção orgânica? 

F: Ter o equilíbrio do solo, isso demorou uns seis sete anos para conseguirmos atingir. E a partir desse equilíbrio nós praticamente não fazemos mais tratamento fitossanitário, temos muito poucos problemas com doenças e pragas e fazemos o uso excessivo de matéria orgânica, composto né, para estar ajudando nisso. E não adianta, se não trabalhar o solo no orgânico não adianta nada. Tem que trabalhar o solo primeiro. Infelizmente você só vai se equilibrar depois de quatro, até cinco anos, para poder começar  atingir a produtividade. Hoje a gente já está bem. No caso da cenoura, que é nosso carro chefe lá, já temos produtividade maior que o convencional, preço maior, produto de qualidade. Daria a dica para quem está começando a produzir orgânicos de investir no solo, é um investimento que não é baixo, mas que tem alto retorno. A gente que faz nosso próprio Bokashi, substrato a gente que faz, temos laboratório de solo dentro da fazenda, fazemos nitrogênio, nitrato… Temos um professor Cabral lá, muito estudioso e que ajuda muito a gente. Não é fácil trabalhar com orgânico, mas o retorno é gratificante. Hoje faturamos muito mais, é muito melhor!


Processo de embalamento e novas embalagens da Orgânicos Capela da Penha, que está investindo em bandejas recicláveis de papelão para expor os materiais em redes de mercado

CH: O que os levou a cultivar a Berinjela Niobe e como está sendo o resultado no campo? 
F: A polpa tem mais resistência, o tempo de prateleira é maior né. Como nosso mercado de orgânicos tem muitos itens gourmet, a Niobe nos chamou muita atenção. E levamos para as grandes redes, como St. Marche, Carrefour, Pão de Açúcar. Eles gostaram, e já tão todas cadastradas. Em breve já começa a produzir em escala para os mercados. Em São Paulo já podem preparar as receitas que a Niobe está chegando!

CH: Vocês cultivam outros materiais da ISLA? 
F: Sim! Alfaces, Milho Doce Havaí, Abobrinha italiana Gioconda, que é a redonda, Tomate Tigre, Tomate mini Sicília, Mini Pimentões cônicos – mas estamos interessados nos block também. A Gioconda está faltando até, gostam muito!  Trabalhamos as alfaces frisée da ISLA também, a Atalaia e Itaúna.

CH: Como os produtos que vocês comercializam são avaliados no mercado?
F: Eles acham um negócio muito diferente, que entendem que vai ter cada vez mais mercado.

CH: Você diria que existe relação do orgânico com o produto diferenciado, de alto valor agregado?
F: Sim, porque o poder de aquisição maior está no orgânico. E os mercados ficam muito interessados nos materiais, na qualidade, visual e como eles podem interessar os consumidores, especialmente os que já buscam orgânicos, que tem preços mais elevados.

CH: Quais serão as próximas novidades em produtos da Orgânicos Capela da Penha?
F: Ainda não temos cadastrado em mercados mas estamos produzindo o Tomate Sicília. E agora queremos trazer a Macarrão Vegano, Pérola Negra e pensamos muito nos microverdes. Você não tem noção, os mercados já estão pressionando a gente para produzirmos microverdes!  Tudo que é mini e micro estamos com a tendência de trazer.

CH: Vocês tem planos de expandir os negócios?
F: Sim! Estamos com projeto para comercializar os materiais aqui no Rio Grande do Sul e no Rio de Janeiro. Minas já abrimos, estamos com mais de 40 lojas lá, Boníssima, Super Nosso e o Carrefour. Tá indo pra Juiz de Fora, Contagem, Belo Horizonte. Vimos até que a influenciadora Juju Norremose postou foto com os nossos produtos no Instagram.


Berinjela Niobe em plena produção

Para conhecer mais a Orgânicos Capela da Penha  não deixe de acessar o site www.organicoscapeladapenha.com.br! As sementes da ISLA Sementes estão disponíveis online em www.isla.com.br, pelo 0800 709 5050 e via Whatsapp no (51) 98412 – 8415! 

Gostei(4)Não Gostei(0)

Tem algo para acrescentar sobre esse post? Compartilhe com a gente!