Manta de TNT: Como implementar e garantir a proteção de sua lavoura

A utilização de tecido-não-tecido (TNT) é uma tecnologia de campo que vem apresentando excelentes resultados para os horticultores, especialmente em regiões nordestinas, como Mossoró (RN) e Irecê (BA). Com o objetivo principal de criar uma barreira física contra insetos indesejados, protegendo a lavoura, a implementação de túneis de TNT impacta diretamente na produtividade dos campos, reduzindo também a utilização de agrotóxicos e garantindo alimentos cada vez mais saudáveis.

Em termos de produtividade os resultados têm sido positivos para produtores que testam a tecnologia, e a perspectiva é de maior difusão dessa técnica nos próximos anos. Em casos como o da cultura de melão, o investimento no TNT decorreu, principalmente, da necessidade de chegar ao ciclo final da fruta. Outro aspecto que incentivou o investimento no TNT foi a busca por solucionar problemas com a infestação de mosca minadora e mosca branca, que atingem consideravelmente as produções do nordeste brasileiro. A região, de temperaturas muito elevadas e insolação muita alta, é beneficiada com a técnica pois ela também cria um microclima com temperatura mais amena (no caso do uso de TNT branco), que na fase vegetativa representa muitas vantagens para a planta. Basicamente, o uso do TNT nas lavouras de melão ganhou espaço com o intuito de proteger a planta durante a fase vegetativa (momento em que ocorre o desenvolvimento) e durante a floração.

Os materiais necessários para a implementação da tecnologia são simples, sendo necessários o TNT e os arcos de polietileno, comumente encontrados em revendas. Como ainda não há máquina automatizada para a aplicação do TNT (como ocorre com tecnologias como o mulching), esta é feita manualmente, o que representa um custo. Apesar disto, a mão de obra da aplicação da manta é compensada pela ausência de mão de obra e custo na compra de agrotóxicos, que terão as aplicações reduzidas ou inexistentes neste período. “No caso da região Nordeste, o custo benefício do uso de TNT com certeza vale a pena. Quando tem incidência grande de pragas, em caso do produtor estar aplicando agrotóxicos, se ele for fazer a conta do que deixou de aplicar pela barreira física criada pelo TNT, compensa muito. E no caso do pequeno produtor, é possível reutilizar o TNT, tendo cuidado para não rasgar o material (seja na aplicação, manuseio ou retirada)”, elucida o Coordenador Técnico de Vendas da ISLA Sementes, Adriano Martins, que acompanha o desempenho de produções de melão no nordeste.

De acordo com ele, pequenos produtores podem trabalhar com a reutilização do TNT, outro aspecto que torna o investimento compensatório. “Se estiver bem cuidado o produtor consegue utilizar mais cerca de três vezes, depois disso teria que repor tudo. Tem quem corte pedaços e recole, fazendo reparos, mas desta forma é arriscado ter abertura para insetos, e é preciso lembrar que o que mais queremos é proteger as plantas justamente dos insetos”, revela Adriano. Ele destaca que algumas vezes os pequenos produtores compram mulching novo e o TNT  já utilizado por grandes fazendas, reutilizando o material e viabilizando uma forma de economizar no processo (embora existam riscos). “Se quer fazer investimento que vale a pena, o ideal é comprar o TNT novo. Assim, se este for bem manuseado, o horticultor faz o uso várias vezes. Se usa TNT novo, consegue usar até cinco vezes o material. Mas isso pra culturas de ciclo rápido. Se forem de ciclo mais longo o TNT terá insolação maior e a vida útil, consequentemente, diminui”, explica.

Confira 9 dicas fundamentais para implementar túneis de TNT em sua lavoura:

1) Como começar

Produtores da região nordeste utilizam a técnica de mulching e a de TNT ao mesmo tempo, criando microclima propício para o bom desenvolvimento dos materiais. Na primeira foto você confere como o eixo fica no meio do cultivo, na segunda como deve ficar (formando arco) nas extremidades

Os eixos de polietileno são fixados no solo na profundidade entre 15cm a 20cm e formam um arco por cima das cultivares. Como a maioria dos solos da região nordeste são arenosos, com esta profundidade o produtor garante um arco bem preso. Nas cabeceiras (extremidades da linha), se faz um arco cruzado com dois eixos. A disposição em cruzamento, nas pontas, evita que os eixos recebam uma carga excessiva de peso, distribuindo bem este e garantindo mais tempo de vida ao sistema.

Quanto ao espaçamento entre arcos, é fundamental que eles não estejam muito longe uns dos outros. “Se deixar um muito longe um do outro o TNT pode cair sobre a rama e há um prejuízo. Então é preciso cuidar para o TNT não cair. Para isto, geralmente se utiliza (no caso da cultura do melão) o espaçamento de 1m20cm por 1m30cm de arco para arco, a uma altura que chega a 50cm. Mas claro, isso depende da cultura, para o melão o arco mantém 50cmx1m20cm. Mas tem gente que depende muito da economia e coloca até 2m de um arco para o outro. Até 1m30cm dá para fazer, mais que isso não, pois é arriscado”, destaca Adriano.

2) Sempre conferir se o sistema é bem fechado

Após colocar os eixos, produtores devem dispor o TNT sob eles, prendendo bem as pontas para evitar a entrada de insetos 

Após armar os arcos de tubos de polietileno, o produtor deve puxar a manta de TNT sobre eles, e prender esta nas laterais, com a própria terra.  Quanto mais prender e menos deixar espaço para a entrada de insetos, maior a eficiência do sistema. Para isto, também é fundamental que o TNT não esteja rasgado. Bem preso e fechado, o TNT pode proporcionar até 100% de proteção ao cultivo.

3) Atenção à fase vegetativa e de floração

Utilização do manto de TNT para produção de Melão Híbrido Favo, na Fazenda Agrícola Bom Jesus, em Pedra Preta – Mossoró (RN)

O TNT cria uma barreira física e além disto cria um microclima ideal, influenciando em condições mais propícias para o bom desenvolvimento dos materiais. A sua utilização vai do transplantio (ou dia seguinte do transplantio, sendo que em algumas fazendas o implementam até dois dias depois do transplantio) até a fase de floração da planta. No caso de culturas como o melão, que precisam de agentes externos de polinização, é essencial que os produtores realizem a retirada do TNT durante este período, para que assim os insetos (abelhas), possam vir a polinizar as cultivares.

4) Diferentes cores de TNT trazem diferentes resultados
Na região nordeste o TNT é sempre branco, pois caso fosse preto reteria muito calor e teria efeito contrário ao de criar clima ameno, que é fundamental para o bom desenvolvimento das plantas. “No nordeste é sempre branco, aí tem menos retenção de luz e calor.  A utilização do mulching também ajuda no processo de criação de ambiente de microclima” informa Adriano.

5) Posso implementar em qualquer região brasileira?
Uso de mulching branco e manto de TNT branco proporcionam microclima, garantindo o bom desenvolvimento de cultivares de melão no nordeste brasileiro

Os túneis de TNT podem ser aplicados em todas as regiões brasileiras, mas é preciso ter cuidado com as singularidades de cada uma delas. “Algumas tem menos luz, e o TNT não deixa passar 100% de luminosidade, então se o produtor está em uma região com menos luz tem que ficar atento para o uso do TNT nessas condições. Se for muito frio se cria microclima com o TNT preto, que também auxilia na proteção de geada. Nesse caso, a função é aquecer, fazendo o contrário do que se faz com TNT branco, e acelerando o processo vegetativo da planta”, destaca Adriano. De acordo com ele, também é preciso prestar atenção ao uso de apenas uma camada de TNT.

6) Como revisar o crescimento dos materiais?

É possível enxergar o desenvolvimento das plantas através do TNT

No caso do uso de TNT você consegue ver a planta através dele, mesmo que não de forma nítida. Durante a fase vegetativa, se verifica se as plantas estão se desenvolvendo bem sem retirar o TNT. “Se o produtor percebe que a planta não está se desenvolvendo bem, normalmente vai ser devido a problema no solo, ou ao fato de que água e o alimento não estão chegando através do sistema de gotejo. Aí o produtor precisa levantar o TNT, corrigir o problema e voltar o TNT na posição”, explica Adriano.

7) Cuidados com o vento
Algumas regiões brasileiras e/ou épocas do ano apresentam muito vento. Nesses casos, é fundamental conferir periodicamente se o TNT está bem preso, e se o vento não está entrando no túnel e soltando a estrutura. 

8) Qual o TNT ideal ?
Alguns TNTs ressecam com facilidade, o que pode comprometer o desempenho do sistema e a vida útil deste. O mais recomendado é que produtores invistam no TNT com banho de UV, que garante maior proteção ao cultivo e tem mais durabilidade.  “Se produtor quer investir e pretende usar mais de uma vez, tem que investir em material de boa qualidade”, explana Adriano. 

9) Em que culturas é possível utilizar a manta de TNT? 

Cultivo do Melão Híbrido Favo com uso de TNT branco foi um sucesso na Fazenda Agrícola Bom Jesus , em Pedra Preta – Mossoró (RN)

É possível e recomendada a utilização de manto de TNT em culturas rasteiras, como a deo melão, tomate, cebola, cenoura, beterraba, entre outros. No nordeste, horticultores que trabalham com a cultura do repolho começaram a iniciar trabalhos com a técnica, que está apresentando bons resultados para essa brássica.

 

 

Gostei(6)Não Gostei(1)

Tem algo para acrescentar sobre esse post? Compartilhe com a gente!