HIDROPONIA: DO PLANTIO À COLHEITA

Você já deve ter entrado em algum grupo nas redes sociais para aprender mais sobre hidroponia ou mesmo para avaliar se vale a pena investir nesta forma de cultivo. Pensando nisso, nesta matéria, escrita em coprodução com a Revista Campo & Negócios, trazemos informações para quem está começando no ramo. Acompanhe:

Para quem está iniciando os trabalhos com hidroponia, é importante ter atenção aos detalhes estruturais, de mercado e técnicas de cultivo.

Assim como em qualquer outro cultivo, é muito importante ter uma base e conhecimento do posicionamento de mercado de seus produtos, para assim conseguir elaborar uma boa estratégia comercial, tendo em vista quais seriam seus clientes, pontos de venda, produtos a serem ofertados. Na produção hidropônica, em especial, a constância e qualidade de fornecimento são essenciais para fidelização dos clientes, portanto, é recomendado ter um bom entendimento quanto a capacidade de produção e os manejos necessários para atingir estes critérios.

Como ocorre o cultivo hidropônico?

As plantas são conduzidas pelo ciclo determinado de cada cultivar, em substrato chamado de meio de cultivo ou solução hidropônica. As plantas são cultivadas em meio aquoso; ou seja, os fertilizantes minerais e orgânicos são diluídos em água, em lugar do solo, para o cultivo das hortaliças. O sistema de cultivo hidropônico é feito em cultivo protegido, em casas de vegetação e estufas, com ou sem substrato para sustentar as plantas. Neste material da Embrapa você pode entender mais sobre o método.


Quais as principais tendências na hidroponia?

Sistemas integrados com sensores e acionamento automatizado de circulação da solução aquosa, busca por novas cultivares (que apresentem cor, sabor e crocância interessantes ao paladar e que também tenham alto desempenho agronômico) e diferenciais na comercialização dos hidropônicos estão entre as principais tendências. 

Como ressalta o Professor Doutor Jorge Barcelos, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a verticalização no cultivo hidropônico é outra grande tendência. Desta forma, é possível produzir otimizando espaços já existentes ou mesmo em novos empreendimentos. O desafio é planejar o microclima de cultivo ideal, com umidade, luminosidade e temperaturas favoráveis ao desenvolvimento das plantas, sem que umas atrapalhem o desenvolvimento das outras.

Melhor aproveitamento do espaço na hidroponia, com uma segunda bancada próximo aos corredores – Foto Warley Nascimento / Embrapa Hortaliças

Ainda falando em tecnologias, importante mencionar o uso de sensores e mecanismos de automação no ambiente de cultivo em hidroponia. Conforme Frederico Brito, da Elysios, as novas tecnologias inteligentes têm potencial para impulsionar a qualidade da produção.

“A agricultura inteligente permite reduzir o desperdício e aumentar a produtividade, além de reduzir a quantidade de fertilizante utilizada durante a safra até o momento da colheita. Isso é possível através de um sistema de monitoramento com sensores para auxílio na tomada de decisão e automação de irrigação, e principalmente facilitar o acesso à informação para o produtor rural”, comenta. 

As aplicações das tecnologias baseadas em IoT (Internet das coisas, do Inglês Internet of Things) não se destinam apenas a grandes operações agrícolas, mas também podem abranger outros tipos de agricultura como agricultura biológica e agricultura familiar.

Case de sucesso Elysios – Hidropônicos São Francisco

Conversamos com a Engenheira Agrônoma Amanda Inoue, Coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos da ISLA Sementes, que nos contou sobre algumas especificidades deste mercado. Confira:

Como a ISLA percebe o mercado de hidropônicos?

O mercado de hidropônicos certamente é uma tendência consolidada no mercado, mas passível de expansão de possibilidades e novas tecnologias dentro deste ambiente de cultivo. Seja em inovações em estruturas, insumos utilizados e cultivares com boa adaptação e resposta em qualidade e produtividade. E é com foco neste ponto que trabalhamos, disponibilizando diferentes cultivares para produtor, proporcionando qualidade, produtividade e principalmente diversidade.

Amanda recomenda para quem está iniciando na hidroponia que os produtores busquem diversificar sua produção, como as mizunas e acelgas coloridas, somando a outros materiais de alta aceitação de cada região. 

Aposte em diversidade: bancada de hidroponia com mostardas, couves, acelgas

Manjericão: Diversidade e sabor que ganha mercados

Perfumado, saboroso e florido, o manjericão é uma excelente alternativa para condimento, chá ou mesmo decorativa em arranjos. Quanto mais fresco, mais aromáticas são as suas folhas – recheadas de óleos essenciais como o estragol, cânfora e linalol, contém ainda ácidos orgânicos e generosas doses de vitaminas C e A. 

O cultivo para venda in natura tem ganhado espaço e cultivares diferenciadas, que hoje já estão adaptadas e disponíveis para diferentes climas e métodos de cultivo. Na foto acima os manjericões estão cultivados em vasos com substrato comercial e solução de fertirrigação por gotejo. 


Clique aqui e veja o mix completo.

Tem algo para acrescentar sobre esse post? Compartilhe com a gente!

O seu endereço de e-mail não será publicado.