Mini Hortaliças: Investir em sabor e potencial nutritivo proporciona ótimas oportunidades aos horticultores

Com formatos diferenciados e extremamente atrativas, as mini hortaliças são uma excelente opção para horticultores que querem ampliar o consumo saudável e incentivar uma alimentação mais diversa. Presentes em supermercados, feiras e na gastronomia, esses materiais são uma das grandes tendências da horticultura. Conhecidos pelo alto nível nutritivo e pelo resgate da essência de sabores, eles ganham novos adeptos a cada dia, proporcionando aos trabalhadores do campo excelente retorno devido ao alto valor agregado!

Outra vantagem para horticultores que decidirem produzir mini hortaliças é a oportunidade de mercado, tendo em vista que podem trabalhar com novas formas de comercialização de hortaliças. Seja investindo na venda de microverdes, na entrega de cestas especiais com miniaturas, no mix de folhas e frutos jovens e até mesmo criando parcerias com restaurantes de suas cidades e explorando a área gastronômica.

Para quem está pensando em começar a produzir e comercializar mini hortaliças, é importante destacar que existem dois tipos de mini hortaliças: as que são naturalmente pequenas (como mini pimentões, mini berinjelas e mini tomates) e as que são colhidas quando jovens, de modo que o fruto ou a folha chegue ao consumidor na sua versão “baby” (bebê), antes de alcançar a completa maturidade (é o caso das baby leafs, conhecidas como folhas jovens, dos brotos e dos microverdes).


Materiais como rabanetes, cenouras, beterrabas, cebolas, berinjelas e folhosas podem ser colhidos antes do tempo, quando são miniaturas, processo chamado de Colheita Jovem


Mini Abóboras, como a  Pérola Negra (esqueda) e Mini Jack (direita), são exemplos de variedades naturalmente diminutas. A Pérola chega a 350g por fruto, enquanto a Mini Jack é menor e mais leve, alcançando a média de 150g por fruto 

Ambos os tipos trazem diversas vantagens para quem os produz. A colheita jovem, por exemplo, otimiza a rotatividade de materiais e o prazo de colheita, permitindo que a relação de tempo entre cultivo e comercialização encurte. Cada variedade terá um tempo específico para a colheita jovem, então é necessário que produtores estejam atentos ao tempo ideal de colheita jovem de cada cultivar. No caso da alface, cebola, agrião, beterraba, rabanete, manjericão, rúcula, salsa e coentro, por exemplo, a colheita jovem pode ser realizada 21 dias após o cultivo. Já para hortaliças como berinjelas e cenouras, a colheita jovem deve ser feita 45 após cultivo. Em casos de hortaliças como o repolho, é possível usar uma técnica de manejo para alcançar o tamanho mini, isto após a colheita do repolho em tamanho tradicional.

Confira como produzir Mini Repolhos:

Outro benefício é que para produzir variedades de colheita jovem, como microverdes e brotos, é necessário pouquíssimo espaço, o que pode tornar este tipo de produção muito viável para quem está iniciando ou tem um terreno pequeno. Há até quem produz microverdes dentro de um contêiner, como é o caso da empresa Mighty Greens, que afirma que um contêiner marítimo de 32m² pode produzir até 40.000 caixas de microverdes por mês. Hoje, uma caixa de microgreens é vendida pela média de R$10,00 no mercado, o que garante aos produtores que investirem no material uma excelente relação entre o investimento/retorno.


A produção de microverdes é uma das últimas tendências da horticultura. Muito saborosos, eles proporcionam uma nova forma de consumo de hortaliças, marcada por ser divertida e extremamente nutritiva

O alto valor agregado de materiais que por natureza são miniaturas é outro aspecto positivo. Os mini tomates, por exemplo, estão ganhando cada vez mais espaço, e chamam muita atenção por seus formatos e cores diferenciados.Um exemplo é o Tomate Sorbetto, da ISLA Sementes, que é uma versão mini do adorado tomate italiano. Super chamativos, os materiais miniatura conquistam até mesmo crianças que geralmente torcem o nariz para experimentar frutas e hortaliças. E pelas texturas, cores e formatos únicos, são excelentes para o mercado gastronômico, que busca materiais cada vez mais nutritivos, saborosos e com visual chamativo.


De excelente sabor, o Sorbetto é um mini tomate italiano extremamente produtivo! 

Na hora do consumo, pessoas que moram sozinhas ou tem família pequena se beneficiam das mini hortaliças. Isso ocorre porque conseguem aproveitar todo o produto em uma única refeição, diminuindo o desperdício de alimentos. Outra grande vantagem é para quem tem crianças em casa: os pequenos tendem a se interessar muito por vegetais de tamanho reduzido, o que pode facilitar na hora de tornar a alimentação infantil mais nutritiva e divertida, já que a aceitação de uma mini hortaliça é maior.

Na busca por uma alimentação mais saudável e acessível, que possa contemplar cada vez mais pessoas, a ISLA apresenta novas variedades de hortaliças mini, que já podem ser cultivadas em todo o Brasil e em breve já devem estar disponíveis em feiras e supermercados do país!

Conheça algumas das variedades de sementes de mini hortaliças que estão disponíveis no mercado:

Gostei(14)Não Gostei(0)

Tem algo para acrescentar sobre esse post? Compartilhe com a gente!